Justiça federal suspende vacinação e distribuição das vacinas de Oxford em Manaus



Em vez de apenas punir aqueles que furaram a fila de vacinação e autoridades coniventes com a irregularidade, a Justiça Federal no Amazonas decidiu punir toda a população do Estado que mais sofre os efeitos da pandemia, suspendendo a distribuição de todas as doses da vacina de Oxford (desenvolvida em parceria com a farmacêutica AstraZeneca) em Manaus.

A capital do estado deveria receber 74.134 doses, informou a prefeitura, mas a juíza federal Jaiza Fraxe decidiu que a Prefeitura de Manaus precisa “garantir a total transparência na programação e critérios para vacinação contra Covid”. Enquanto isso, a vacinação tão agiuardada pela população de Manaus foi suspensa.

A decisão incompreensível da juíza atende a uma Ação Civil Pública dos Ministérios Públicos do Estado (MPE), Federal (MPF), do Trabalho (MPT) e Especial junto ao Tribunal de Contas do Estado (TCE), e Defensorias Públicas da União (DPU) e do Estado (DPE), contra o Município de Manaus.

LEIA TAMBÉM: 

Farmacêutica americana anuncia medicamento capaz de de prevenir a Covid-19; entenda

Infectologista é a primeira pessoa a tomar a cobiçada Vacina de Oxford no Brasil

Biden autoriza uso de Bandeira LGBT em órgãos do governo

Chegaram a Manaus 132.250 doses da vacina de Oxford na noite de sábado. Foi o Estado que mais recebeu doses do imunizante, exatamente em razão da emergência do aumento de casos e de mortes, sobretudo após a constatação de uma nova variedade do vírus. Sem contar que o Estado sofre colapso no sistema de saúde, em razão da falta de leitos e de oxigênio.


Quem vai receber as doses de Oxford?

Por recomendação do Ministério da Saúde, as doses da vacina Oxford/AstraZeneca irão atender 35% de trabalhadores de saúde; 100% de idosos acima de 75 anos e 37% de idosos entre 70 e 74 anos, informou a FVS.

Os idosos entre 70 e 74 anos que receberão as vacinas são os considerados pacientes com maior risco de agravamento e óbito (acamados, pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica, pacientes com insuficiência renal crônica, pacientes com diabetes insulina dependentes, obesidade com IMC acima de 40, e pacientes transplantados e imunossuprimidos).

FONTE: DIARIODOPODER.COM.BR

               G1.GLOBO.COM

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();