Padre que se ofereceu para teste de vacina da Covid-19 morre


Um padre da Pensilvânia que havia participado da terceira e última fase do ensaio da vacina da Covid-19 desenvolvida pela farmacêutica norte-americana Moderna, morreu em 27 de novembro.

O padre John M. Fields tinha 70 anos e faleceu em sua casa, na Filadélfia, vítima de um ataque cardíaco. Ele não estava contaminado pelo vírus chinês.

Um artigo do Catholic News Service publicado em 23 de novembro relata que quando padre Fields recebeu e-mail da Universidade da Pensilvânia, perguntando se ele gostaria de participar dos testes de vacinas, ele respondeu imediatamente que sim.

“Eu não hesitei”, disse ele à agência de notícias. “Seria uma grande oportunidade de lutar contra este vírus desagradável que apareceu de repente e causou estragos em todo o mundo, trazendo a morte e interrompendo todos os aspectos de nossas vidas”, declarou, conforme informou a Aleteia.

Padre Fields foi o primeiro voluntário no estudo na Universidade da Pensilvânia e recebeu a primeira injeção em 31 de agosto.

Na primeira semana após a injeção, Fields precisou fazer um relatório diário de sua temperatura e de quaisquer sintomas como fadiga, náusea, dor no local da injeção, inchaço no braço, calafrios ou febre e dores de cabeça. Ele disse que não tinha nenhum.

O padre então recebeu uma segunda injeção em 1º de outubro e novamente não sentiu sintomas.

Em 26 de outubro, voltou para uma avaliação de acompanhamento. O padre continuaria sendo avaliado por 25 meses.


FDA alertou para risco de infarto por vacina

Mesmo que a causa da morte do padre Fields não esteja sendo relacionada como efeito colateral à vacina, o FDA (Food and Drug Administration) órgão americano equivalente à Anvisa, alertou em 22 de outubro para possíveis efeitos colaterais que vacinas contra o vírus chinês poderiam causar. Entre eles, está o “Infarto agudo do miocárdio”.

O documento, que de acordo com o FDA está sujeito a alterações, traz uma lista de possíveis reações adversas às vacinas, entre elas, a síndrome de Guillain-Barré, mortes, síndrome Inflamatória multissistêmica em crianças e convulsões.

Acesse aqui a íntegra do documento do FDA.

FONTE: TERCALIVRE.COM.BR

10 comentários:

  1. Nos devemos recusar a vacina pois sabemos que ela vem de pessoas da esquerda que são pessoas más que ñ meressem crédito pois querem destruir nosso Presidente. Como confiar após tanta comprovação de que eles ñ medem esforços e limites para atinjilo, são rapazes de eliminar pessoas para comprovarem incapacidade de Bolsonaro de gerir nosso País tudo usam para atinjilo

    ResponderExcluir
  2. Me preocupo com a população menos esclarecida, e ávida pra tomar esta vacina.Como Enfermeira e buscadora de tudo relacionado a esta vacina, tenho minha decisão , não tomo nenhuma, apezar de idosa e ainda trabalhar

    ResponderExcluir
  3. E segue a saga. Especulações, disputas...tudo virou um jogo político no mundo inteiro.Salve-se quem puder.

    ResponderExcluir
  4. Vacina FEITAS EM TEMPO RECORDE tem um único interesse $$$$$

    ResponderExcluir
  5. NÃO tomo!!!!!!!E quem quiser tomar que fique a vontade !!!!!

    ResponderExcluir
  6. O mais difícil é saber quem de fato é especialista, cientista da área epidemiológica. Além disso, vêm notícias de agentes com estas características com opiniões antagônicas. E agora, em quem confiar para tomar uma decisão?

    ResponderExcluir

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();