Aprovação de Bolsonaro sobe ainda mais e chega a 52%

Percentuais variaram em 15 dias

Antes, eram 49% de aprovação

Desempregados: maior apoio

Pesquisa PoderData,divulgada nesta 4ª feira (30.set.2020), aponta que o governo do presidente Jair Bolsonaro é aprovado por 52% dos brasileiros. Outros 42% desaprovam, e 6% não souberam ou não responderam.

Os percentuais se mantiveram estáveis, desde a última pesquisa, com variações dentro da margem de erro. Há 4 levantamentos, desde a 2ª quinzena de agosto, as taxas não apresentam movimentações significativas.

Os dados foram coletados de 28 a 30 de setembro, por meio de ligações para celulares e telefones fixos. Foram 2.500 entrevistas em 423 municípios, nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais.

A pesquisa foi realizada pelo PoderData, divisão de estudos estatísticos do Poder360. A divulgação do levantamento é realizada em parceria editorial com o Grupo Bandeirantes.

Foram destacados, também, os recortes para as respostas à pergunta sobre a percepção dos brasileiros sobre o governo Bolsonaro. Foram analisados os perfis por sexo, idade, nível de instrução, região e renda.


Quem mais aprova

  • os que têm de 25 a 44 anos (61%);
  • aqueles que estudaram até o ensino fundamental (59%);
  • moradores do Norte (63%);
  • desempregados ou sem renda fixa (61%).

Quem mais desaprova

  • quem tem 60 anos ou mais (63%);
  • pessoas com ensino superior (61%);
  • moradores do Sudeste e Sul (48% em ambos);
  • os que ganham de 2 a 5 salários mínimos (61%).

O grupo dos desempregados ou sem renda fixa, como destacado acima, demonstra amplo apoio ao governo. Também é nesse estrato que se concentram os beneficiários do auxílio emergencial.



TRABALHO DE BOLSONARO

O PoderData também perguntou o que os entrevistados acham do trabalho de Bolsonaro como presidente: ótimo, bom, regular, ruim ou péssimo.

Os percentuais se mantiveram estáveis desde o último levantamento. A rejeição ao trabalho do chefe do Executivo, no entanto, apresenta tendência de queda. Variou de 34% para 30% nos últimos 15 dias a avaliação “ruim” ou “péssimo”.

Os que ganham mais de 10 salários mínimos são aqueles que mais rejeitam o trabalho do presidente (46% de “ruim” e “péssimo”). Os desempregados estão na outra ponta (46% de “ótimo” ou “bom”).

O levantamento também mostra que as pessoas que estudaram até o ensino fundamental (47%) e os desempregados ou sem renda fixa são os que mais consideram o trabalho do presidente “ótimo” ou “bom”.

Já os que recebem mais de 10 salários mínimos (46%) e quem tem ensino superior (54%) são os que mais acham Bolsonaro “ruim” ou “péssimo”.



OS 27% QUE ACHAM BOLSONARO “REGULAR”

No Brasil, pergunta-se aos eleitores se acham que o governante faz 1 trabalho ótimo, bom, regular, ruim ou péssimo. A “turma do regular” (27%) é sempre uma incógnita.

O PoderData faz 1 cruzamento das respostas desse grupo com os que aprovam ou desaprovam o governo como 1 todo. Os dados mostram que a proporção daqueles que enxergam o trabalho de Bolsonaro “regular” e hoje aprovam seu governo é de 51%.

Desde o último levantamento, há 15 dias, as taxas se mantiveram estáveis, com variações dentro da margem de erro.



BOLSONARO NO NORDESTE

O percentual dos moradores da região que aprovam o governo Bolsonaro cresceu 7 pontos percentuais em 15 dias. É a maior taxa de apoio registrada na região pelo menos desde junho, quando o PoderData começou a perguntar sobre a percepção dos brasileiros a respeito do governo.

A atuação individual do presidente é considerada “ótima” ou “boa” por 41% dos nordestinos. A curva de rejeição (“ruim” + “péssimo”) tem tendência de queda.

FONTE:PODER360.COM.BR

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();