Bolsonaro anuncia revogação de decreto sobre privatização de UBS do SUS


 

Presidente, contudo, defendeu medida e afirmou que intenção era auxiliar na conclusão de obras

BRASÍLIA — O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira que revogou o decreto que autorizava a equipe econômica a preparar modelo de privatização para unidades básicas de saúde (UBS). O anúncio foi feito em uma rede social. De acordo com a Secretaria-Geral da Presidência, a revogação será publicada em edição extra do Diário Oficial da União (DOU).

LEIA TAMBÉM: China fecha acordo com a Sueca AstraZeneca para fornecer vacina contra covid-19 para população chinesa

Apesar de anunciar a revogação, Bolsonaro defendeu o decreto. O presidente afirmou que faltam recursos financeiros para conclusão das obras, aquisição de equipamentos e contratação de pessoal nas UBS e nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA) e que o "espírito do decreto" era terminar obras e "permitir aos usuários buscar a rede privada com despesas pagas pela União".

O decreto, publicado na terça-feira, autorizava a equipe econômica a preparar modelo de privatização para UBS. A medida incluiu a política de fomento ao setor de atenção primária à saúde no âmbito do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) da Presidência da República.

Na manhã desta quarta, após a repercussão negativa, a Secretaria-Geral afirmou que a medida "não apresenta qualquer decisão prévia, pois os estudos técnicos podem oferecer opções variadas de tratamento da questão".

Esta reportagem está em atualização

Um comentário:

  1. Presidente cocozão deverá ser julgado e condenado, junto com Guedes e demais picaretas.

    ResponderExcluir

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();