Novo coronavírus faz 'camuflagem' para enganar sistema imunológico

Estudo publicado na revista Nature Communications mostrou que o vírus usa uma enzima para modificar seu material genético e invadir células.

O novo coronavírus usa uma enzima para modificar seu material genético. Assim, consegue enganar o sistema imunológico e não ser reconhecido como um agente invasor pelas células humas, de acordo com estudo publicado nesta sexta-feira (24) na revista científica Nature Communications.


A pesquisa analisou a estrutura da enzima nsp16, que permite que o vírus faça mudanças em seu RNA mensageiro. Essa 'camuflagem' é essencial para que o coronavírus possa invadir as células do organismo, sobreviver dentro delas e se replicar.
A nova descoberta pode ajudar a desenvolver medicamentos e terapias no combate à covid-19, segundo os pesquisadores. Os estudiosos observam que os antivirais são a base para o tratamento de infecções causadas por vírus e, no geral, agem diretamente contra uma proteína viral.

"Portanto, é necessário um entendimento mais profundo da função de proteínas virais individuais para desenvolver futuras terapias para a covid-19 e outras possíveis infecções por coronavírus", diz a publicação.

Leia também: Estudo vê ‘espinhos’ no coronavírus e pode ajudar a barrar contágio

Os pesquisadores também observam que o coronavírus não sofre com a ação da imunidade inata - a primeira arma do organismo contra invasores, mas que não produz memória imunológica - pois seu material genético "deve ser protegido" desse tipo de ataque graças às enzimas presentes em sua superfície.

FONTE: R7.COM

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();