GOVERNO BOLSONARO INVESTE R$ 70 MILHÕES PARA PROTEGER INDÍGENAS DURANTE PANDEMIA

Mais de 600 mil equipamentos de proteção individual, insumos e medicamos foram enviados para atender indígenas.

O Governo Federal tem promovido ações para dar assistência aos mais de 750 mil indígenas aldeados no Brasil durante a pandemia do coronavírus. O Ministério da Saúde investiu cerca de R$ 70 milhões em iniciativas para proteção dos povos indígenas.


Além disso, mais de 600 mil equipamentos de proteção individual, insumos em saúde e medicamentos foram enviados aos 34 Distritos Sanitários Especiais (DSEI) de todo o país. Ente eles, estão 372,7 mil máscaras, 166,7 mil luvas, 13,4 mil aventais, 16,6 mil toucas, 6 mil frascos de álcool em gel e também mais de 29 mil testes rápidos.


A Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) reforçou o atendimento desde o começo do ano, antes mesmo do decreto de pandemia feito pela Organização Mundial da Saúde (OMS), com ações de informações, prevenção e combate à doença.


Atendimento

Atualmente, existem no país, 14.200 profissionais que integram 800 equipes de saúde indígena. Para oferecer atendimento rápido em situações de emergência, a Secretaria autorizou a contratação de 34 equipes de resposta rápida para atuar em cada DSEI. 

As equipes são compostas por médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem e estão prontas para reforçar a operação.

Atualmente, a Sesai produz vídeos institucionais sobre as ações realizadas na pandemia e os Distritos Sanitários Especiais elaboram materiais educativos na língua de cada povo.


Também fazem parte das estratégias do Governo Federal para enfrentar a Covid-19 nas comunidades indígenas a criação da Unidade de Atenção Primária Indígena (UAPI), e a instalação de alas indígenas nos hospitais de Manaus (AM) e Macapá (AP).


Foi elaborado ainda um Plano de Contingência Nacional que detalha como as equipes de saúde devem agir conforme cada caso, respeitando as características de cada etnia.



Casos

Segundo o Ministério da Saúde, até segunda-feira (8), foram registrados 2.085 casos de Covid-19 entre os indígenas. “A fotografia de hoje é a seguinte. 1.170 indígenas infectados, 816 pessoas já tiveram cura clínica e, infelizmente, 82 óbitos dentro da área de cobertura da SESAI, a Secretaria Especial de Saúde Indígena”, disse o Secretário Especial de Saúde Indígena do Ministério da Saúde, Robson Santos.


Dos casos confirmados, a média de idade é de 41 anos. E dos óbitos, a maior parte tinha entre 60 e 79 anos. A região Norte concentra 69.4% dos casos de Covid-19 e 86,6% das mortes. Os distritos indígenas que mais preocupam o Governo Federal, segundo o Ministério da Saúde, são o Alto Solimões; o Alto Rio Negro e o Vale do Javari.


Em todo o Brasil, 8,5% das aldeias registraram casos de Covid-19. “Isso significa que 91,5% não registraram casos. Que isso aí, mais uma vez, se deve ao trabalho de vigilância, à barreira sanitária da Funai, à atuação da Sesai, a atuação das equipes multidisciplinares de saúde indígena trabalhando intensamente”, acrescentou Robson Santos.


FONTE: https://www.gov.br/pt-br


Um comentário:

  1. Discurso racista do Bolsonaro publicado no Diário da Câmara dos Deputados do dia 16/04/1998
    “...Até vale uma observação neste momento, a Cavalaria brasileira foi muito incompetente. Competente, sim, foi a Cavalaria norte-americana, que dizimou seus índios no passado e hoje em dia não tem esse problema em seu país...”
    Aos que se interessam em combater o racismo: confiram, traduzam e divulguem. Bolsonaro merece ser desmoralizado aqui e no exterior.
    Página 09957. Segunda coluna.
    http://imagem.camara.gov.br/Imagem/d/pdf/DCD16ABR1998.pdf#page=33

    ResponderExcluir

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();