Flamengo sugere. E Bolsonaro acaba com o monopólio da Globo

Landim confessa que sugeriu ao presidente. E Bolsonaro publicou a MP 984. Ela dá aos clubes mandantes o direito de vender seus jogos.


Um almoço catastrófico para a Globo.

O presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, confessou que uma conversa ontem, enquanto almoçava em Brasília, com o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, teve poder para implodir o monopólio da transmissão de futebol no país, por parte da TV Globo.

"Como vocês sabem, o Flamengo não assinou o contrato de televisionamento, diferente dos demais clubes da Ferj, com a emissora que detém os direitos (Globo). Por isso, os jogos do Flamengo não vinham sendo transmitidos."

"Ontem, conversamos com o presidente, na posse do Ministro das Comunicações, e ele (Bolsonaro) convidou a mim e também ao Felipe Melo e o ministro para almoçar. Ele perguntou: ‘E aí, vai voltar o futebol, e o televisionamento?’.



"Expliquei, em detalhes, que tínhamos um problema na legislação que os dois clubes precisavam aprovar."

“Falei para o presidente como ocorrem em vários outros países, que o mandante tem o direito de transmissão de seus jogos."

"O Flamengo vai jogar agora à noite contra o Bangu, então o Bangu, se vender o direito para alguém, terá direito de transmitir."
"O Flamengo, mandante, vai vender para qualquer um, não só para quem tem o direito de todos. O presidente entendeu isso, disse que ia agir rapidamente e agora recebi a mensagem que foi publicada a medida que o direito de imagem é do mandante."

"A boa notícia para os torcedores é que a rede de TV está liberada para passar o jogo (contra o Bangu). Só não passará se não quiser. Assim como o Flamengo poderá passar o jogo com o Boavista no fim de semana porque terá o mando de jogo. Vou dizer: o Flamengo vai passar, nem que seja na FlaTV."

"Vamos ter o direito de negociar com qualquer outra empresa, inclusive a que detém o direito dos outros, se ela pagar o que o Flamengo acha justo", disse Landim, à Band.

A Medida Provisória nº 984, publicada hoje, na edição extra do Diário Oficial, altera a Lei Pelé. E dá ao clube mandante o direito de negociar suas partidas. Desde que não tenha acordo prévio com alguma emissora, lógico.

Não há mais a impossibilidade de transmissão, se os dois clubes não fechassem com a mesma emissora, como estava na lei.

Juristas garantem que Landim está certo.

A MP começa a valer a partir de hoje.

Ou seja, como o Bangu está fechado com a Globo, a emissora pode mostrar a partida de retorno do futebol, depois de três meses de paralisação por conta da pandemia. Mesmo não tendo contrato com o Flamengo. Vale o mandante.

Como no próximo jogo do Flamengo, contra o Boavista, o mando de campo é do rubro-negro, ele pode vender a partida para quem quiser. Além, óbvio, de mostrar o confronto na TV Fla.

A MP 984 terá reflexo primeiro no Carioca. No Brasileiro e na Copa do Brasil, não. Porque os clubes já fecharam com a Globo ou com o Esporte Interativo.



Mas o futuro da monopólio da Globo será abalado após 2024, quando as equipes estarão livres no Brasileiro, por exemplo.

O Flamengo seguirá liberto em todos os Cariocas. Podendo negociar suas partidas em casa com quem quiser.

A direção do Bangu autorizou publicamente a Globo a mostrar o jogo. Assim como a cúpula do Flamengo.

A emissora tirou do seu site a programação de hoje.

No horário de Bangu e Flamengo, mostraria a novela Fina Estampa e o programa culinário Mestre do Sabor.

Deve mostrar a partida.

E, depois, seu departamento jurídico analisará se há o que fazer.






FONTE: R7.COM


Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();