MBL vai à Justiça para anular nomeação de Rolando de Souza novo diretor da PF

O Movimento Brasil Livre protocolou na Justiça Federal de Brasília ação popular para anular a nomeação do delegado Rolando Alexandre de Souza como novo diretor-geral da Polícia Federal.

No pedido, o advogado Rubens Nunes diz que ele também está alinhado a “interesses escusos” de Jair Bolsonaro, pela proximidade com Alexandre Ramagem e por já ter substituído o superintendente da PF no Rio de Janeiro.


O MBL também argumenta que a escolha coloca em risco a lisura e imparcialidade da PF, pela possibilidade de atrapalhar a investigação no Supremo sobre a suposta ingerência política de Bolsonaro na corporação.

A decisão caberá à 8ª Vara Federal Cível do Distrito Federal.

4 comentários:

  1. Está claro que o MBL e ministros do STF e demais seguimentos da esquerda, não querem deixar Bolsonaro governar! Acho que eles querem alguém indicado por eles!

    ResponderExcluir
  2. Só pode ser uma piada nova! Será que eles não querem escolher e eles mesmos indicarem? Só no inferno bando de demônios.

    ResponderExcluir
  3. MBL só vai ficar querendo, ninguem pode anular um ato constitucional do presidente....sao uns corruptos isso sim, devem estar com o rabo preso tambem....kkkk

    ResponderExcluir
  4. ESSES RATOS DE ESGOTO, TÃO APAVORADOS, COM MEDO DE DESCOBRIREM TODAS AS FALCATRUAS QUE ESSES MALDITOS FIZERAM, INCLUSIVE O ACOBERTAMENTO DA FACADA DO BOLSONARO.ELES VÃO PAGAR CARO.

    ResponderExcluir

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();