Alexandre de Moraes ordenou bloqueio das redes sociais dos citados no inquérito simplesmente porque criticaram o STF

Moraes disse que bloqueio é “necessário para a interrupção dos discursos com conteúdo de ódio”.


O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), citou, esta quarta-feira (27), um suposto “Gabinete do Ódio” em decisão que autorizou o cumprimento de mandados de busca e apreensão no âmbito do inquérito das fake news.



No despacho, o ministro definiu o grupo como “associação criminosa” e apontou exemplos de “mensagens ilícitas” de membros deste suposto gabinete.
Ao elencar as determinações no despacho, Moraes pede:

“A BUSCA E APREENSÃO de computadores, ‘tablets’, celulares e outros dispositivos eletrônicos, bem como de quaisquer outros materiais relacionados à disseminação das aludidas mensagens ofensivas e ameaçadoras.”



O ministro também pediu os bloqueios das contas:

“O bloqueio de contas em redes sociais, tais como Facebook, Twitter e Instagram, dos investigados apontados no item anterior “1”, necessário para a interrupção dos discursos com conteúdo de ódio, subversão da ordem e incentivo à quebra da normalidade institucional e democrática.”
FONTE: RENOVAMIDIA.COM.BR


Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();