Massacre em igreja é evitado pela presença de pessoas armadas no local

Se não fosse a ação rápida dos civis armados, o número de vítimas teria sido muito maior.

Neste domingo, um atirador abriu fogo em uma Igreja do Texas, ferindo fatalmente uma pessoa e deixando outra em estado crítico. Contudo, um atentado que teria tudo para se tornar um massacre, terminou com um número reduzido de vítimas graças à interferência dos paroquianos que atendiam o serviço matinal da Igreja, civis armados que contiveram o atirador, atingido-o de forma fatal e transformando-o na segunda e última baixa do dia. As informações são de autoridades locais.

O incidente ocorreu em White Settlement, subúrbio a noroeste da cidade de Fort Worth, na Igreja de Cristo West Freeway. O Corpo de Bombeiros de Fort Worth informou que três pessoas, incluindo quem eles acreditavam ser o atirador, foram transportadas da cena do crime em estado crítico. Uma das vítimas e o atirador morreram a caminho do hospital, e o outro ferido foi ressuscitado com sucesso por paramédicos, de acordo com Macara Trusty, porta-voz dos serviços de emergência locais MedStar.



O chefe de polícia do White Settlement, J.P. Bevering, afirmou que o atirador foi baleado por dois fieis que estavam armados. “A ameaça é interrompida com base nas ações heroicas dos dois paroquianos da igreja”, disse Bevering. “Os locais de culto devem ser sagrados, e sou grato pelos membros da igreja que agiram rapidamente para derrubar o atirador e ajudar a evitar mais perdas de vidas”, se pronunciou o governador do Texas, Greg Abbott, em comunicado.

O tiroteio foi capturado em vídeo enquanto o culto da igreja era transmitido no YouTube, de acordo com o jornal New York Daily News. Ele foi apagado do servidor original, mas está disponível em outros locais, como no perfil do Twitter da deputada federal Bia Kicis (PSL/DF). Como bem ressalta a parlamentar em seu tweet, o Texas é um dos Estados americanos mais armados e possui um dos menores índices de violência. Mais uma estatística contra o Estatuto do Desarmamento.
Neste domingo, um atirador abriu fogo em uma Igreja do Texas, ferindo fatalmente uma pessoa e deixando outra em estado crítico. Contudo, um atentado que teria tudo para se tornar um massacre, terminou com um número reduzido de vítimas graças à interferência dos paroquianos que atendiam o serviço matinal da Igreja, civis armados que contiveram o atirador, atingido-o de forma fatal e transformando-o na segunda e última baixa do dia. As informações são de autoridades locais.

O incidente ocorreu em White Settlement, subúrbio a noroeste da cidade de Fort Worth, na Igreja de Cristo West Freeway. O Corpo de Bombeiros de Fort Worth informou que três pessoas, incluindo quem eles acreditavam ser o atirador, foram transportadas da cena do crime em estado crítico. Uma das vítimas e o atirador morreram a caminho do hospital, e o outro ferido foi ressuscitado com sucesso por paramédicos, de acordo com Macara Trusty, porta-voz dos serviços de emergência locais MedStar.



O chefe de polícia do White Settlement, J.P. Bevering, afirmou que o atirador foi baleado por dois fieis que estavam armados. “A ameaça é interrompida com base nas ações heroicas dos dois paroquianos da igreja”, disse Bevering. “Os locais de culto devem ser sagrados, e sou grato pelos membros da igreja que agiram rapidamente para derrubar o atirador e ajudar a evitar mais perdas de vidas”, se pronunciou o governador do Texas, Greg Abbott, em comunicado.
 
O tiroteio foi capturado em vídeo enquanto o culto da igreja era transmitido no YouTube, de acordo com o jornal New York Daily News. Ele foi apagado do servidor original, mas está disponível em outros locais, como no perfil do Twitter da deputada federal Bia Kicis (PSL/DF). Como bem ressalta a parlamentar em seu tweet, o Texas é um dos Estados americanos mais armados e possui um dos menores índices de violência. Mais uma estatística contra o Estatuto do Desarmamento.


Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();