Para proteger amigo, Gilmar Mendes tira da Lava-Jato processo contra Guido Mantega


Processo será transferido para Justiça Federal em Brasília e ex-ministro deixará de seu réu.

O ministro Gilmar Mendes , do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou a transferência de um processo contra o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega da 13ª Vara Federal de Curitiba para a Justiça Federal em Brasília. Segundo Mendes, o caso não está inserido na Operação Lava-Jato e, por isso, não deveria ter sido encaminhada para a capital paranaense.

A decisão também anula a decisão tomada pelo então juiz Sérgio Moro de receber a denúncia contra Mantega em agosto de 2018. Com isso, o ex-ministro da Fazenda agora deixa de ser réu e voltará a uma etapa processual anterior: em vez de responder a uma ação penal, será alvo de inquérito.


Na semana passada, Mendes já havia suspendido a decisão do juiz Luiz Antonio Bonat, da Justiça Federal de Curitiba, para que Mantega fosse submetido a tornozeleira eletrônica. A defesa alegou que Mantega poderia sofrer constrangimento por ser figura pública, além de correr o risco de ser hostilizado.

Mantega foi acusado de corrupção e lavagem de dinheiro por ter supostamente recebido propina da Odebrecht para atuar na edição de medidas provisórias que beneficiavam empresas do grupo, permitindo o refinanciamento de dívidas.

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();