Promotores alertam que Lei do Abuso de Autoridade esvazia cerco ao PCC


Promotores do MPSP divulgaram manifesto em repúdio à Lei do Abuso que a Câmara aprovou.

Os promotores que se dedicam exclusivamente ao combate ao crime organizado, à corrupção e aos carteis divulgaram, nesta sexta-feira , manifesto em repúdio à Lei do Abuso de Autoridade aprovada na Câmara dos Deputados.

Membros dos núcleos Gedec e Gaeco do Ministério Público de São Paulo, eles alertam que uma consequência da medida será o esvaziamento de suas atividades, o que inclui o cerco sem tréguas ao Primeiro Comando da Capital (PCC).


Segundo os promotores “percebe-se que o propósito inequívoco da iniciativa é impedir, acuar, dificultar e inviabilizar o exercício responsável, eficiente e eficaz da atividade investigativa, repressiva e punitiva do Ministério Público e de outros órgãos e Instituições reconhecidas e admiradas pela sociedade”.
Para eles, segundo o jornal Estadão, “o efeito prático imediato, talvez não divisado pelos congressistas, é o prejuízo às investigações contra grandes organizações criminosas dedicadas também ao tráfico e a crimes que envolvem violência, como é o caso do Primeiro Comando da Capital – PCC, e outros grupos semelhantes, como redes de pedofilia ou que exploram a atividade sexual de crianças e adolescentes”.

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();