Pai solteiro adota criança com síndrome de Down recusada por sete famílias

O desejo de ter uma família é algo que move muitas pessoas. Encontrar um parceiro de jornada, estabelecer a vida juntos e começar uma família é o sonho de muitos de nós, porque nos traz realização, felicidade, amor e companhia.

Os filhos são uma parte essencial na grande maioria das famílias, porque são o fruto do amor de um casal, e desde o momento que chegam ao mundo, trazem mais luz, propósito e amor para as vidas dos pais. No entanto, não apenas os filhos gerados por nós podem transformar nossas vidas, a adoção é uma maneira linda de criar a própria família para si mesmo e ao mesmo tempo presentear uma pessoa, que por muito tempo esteve sozinha, com muito amor e cuidado.


Infelizmente, muitas crianças são rejeitadas por famílias em filas de adoção, e esse foi o caso de Alba, que com 7 dias de vida já tinha sido rejeitada por 7 famílias por ser portadora de Síndrome de Down, uma doença que causa atrasos de desenvolvimento e intelectuais.
No entanto, ela teve um final feliz, quando Luca decidiu adotá-la mesmo sendo solteiro.


Luca Trapanese sempre quis adotar uma criança especial e, mesmo depois do fim de seu relacionamento, o desejo de manteve vivo. Ele teve a oportunidade de conhecer Alba e logo no primeiro contato, quando segurou a menina pela primeira vez, sentiu que tinha sido destinado a se tornar o seu pai. E Alba é um doce, linda, com olhos azuis e cabelos loiros!

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();