Lula: “O Rio não merece que governadores eleitos estejam presos porque roubaram”, Confira o Vídeo!

Quando Lula disse que “o Rio não merece que governadores eleitos estejam presos porque roubaram”, Lindbergh Farias estava atrás dele, no palanque.


“Espero que Lula esteja preso até julho”, diz Procurador da Lava Jato
Carlos Fernando dos Santos Lima, da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, disse ao jornal Gazeta do Povo que espera que o TRF-4 julgue Lula até março do ano que vem. Em palestra a membros do Ministério Público e advogados na semana passada, o procurador estimou que o petista estará preso até julho.
Veja este trecho da entrevista:
Investigado e condenado na Operação Lava Jato, o ex-presidente Lula pode ser candidato mais uma vez à presidência da República no ano que vem. Como o senhor avalia esse cenário?

É questão de aplicar a lei. Não existe escolha. A escolha já foi feita com a lei. A jurisprudência é clara no sentido de aplicar a Lei da Ficha Limpa. Nós não somos políticos nem temos escolha política. Cada um dos procuradores tem sua visão de mundo sobre política, mas para nós é indiferente. A lei tem que ser aplicada, seja para o Lula ou para o Aécio Neves, seja para quem for. Eu creio que agora é esperar como os tribunais vão dar conta disso. O Ministério Público faz a acusação, essa é a função dele. Não tenho que passar a mão na cabeça de ninguém.

O que o senhor espera do julgamento do ex-presidente Lula no Tribunal Regional Federal da 4ª região?

Creio que teremos um julgamento de segundo grau até março. Isso não significa que estarão encerrados todos os recursos. Creio que haverá embargos de declaração, haverá embargos infringentes, haverá embargos de declaração sobre embargos infringentes, que é a tradição nossa de recurso sobre recurso. Mas esperamos que até junho ou julho, a nível de Tribunal Regional Federal da 4ª região, ele esteja definitivamente julgado.

As afrontas de Lula
O Estadão ataca os procuradores da Lava Jato praticamente todos os dias.
Nesta segunda-feira, o jornal resolveu dar uma trégua.
O discurso de Lula no Rio de Janeiro, atribuindo à Lava Jato a ruína da Petrobras, mereceu um editorial indignado:

“O discurso é uma inacreditável coleção de afrontas. Ao contrário do que diz Lula, a Lava Jato ajudou a salvar a Petrobrás, livrando-a dos diretores corruptos que ali estavam para pilhá-la e para distribuir o fruto do roubo entre os partidos que sustentavam os governos petistas. O saneamento da maior estatal brasileira deve muito à depuração proporcionada pela Lava Jato, que ajudou a recuperar quase R$ 1,5 bilhão em recursos desviados.



Sob nova e saneadora direção, após o impeachment da presidente Dilma Rousseff, a Petrobrás revisou seus investimentos, que haviam sido ampliados irresponsavelmente por uma administração que pretendia transformar a empresa em ponta de lança do projeto de poder de Lula, e alterou sua política de preços, antes determinada pelos interesses eleitoreiros dos governos petistas, que tantas perdas causaram à estatal. 

Como resultado, a Petrobrás interrompeu obras desnecessárias, excessivamente custosas ou que haviam sido projetadas apenas para servir ao esquema de corrupção.”

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();