A mando do governo, Raul Jungmann exonera do Exército general Mourão

Segundo “Estadão”, Antonio Hamilton Mourão deixará cargo de secretário de Economia e Finanças após dizer que presidente comanda “balcão de negócios”

O jornal “Estadão” publica, neste sábado (9/12), que o Exército vai pedir ao ministro da Defesa, Raul Jungmann, o afastamento do general Antonio Hamilton Mourão do cargo de secretário de Economia e Finanças do Comando do Exército depois de ele fazer críticas públicas ao presidente Michel Temer (PMDB).

Em palestra no Clube do Exército, em Brasília (DF), na última quinta-feira (7), o militar fez uma avaliação da crise política brasileira e não poupou o peemedebista.

 “Não há dúvida que atualmente nós estamos vivendo a famosa Sarneyzação [em referência ao ex-presidente José Sarney, também do PMDB]. O nosso atual presidente vai aos trancos e barrancos buscando se equilibrar e mediante o balcão de negócios chegar ao final de seu mandato”, afirmou.

Segundo a publicação, Mourão vai ficar sem função até que complete o tempo para ir para reserva, em março de 2018. O comandante do Exército, Eduardo Villas Bôas, indicou o general Luiz Eduardo Ramos Baptista Pereira para substituí-lo.

Controverso, o general é um entusiasta da pré-candidatura de Jair Bolsonaro (PSC-RJ) à Presidência e já chegou a sugerir que uma intervenção militar pudesse acontecer no Brasil.

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();