PGR pede ao STJ para investigar se JBS comprou decisões judiciais

Raquel Dodge pediu ao STF a abertura de um investigação preliminar para apurar se a JBS conseguiu comprar decisões em tribunais superiores por meio da advogada Renata Araújo, filha da desembargadora Maria do Carmo Cardoso.

A Veja revelou mensagens trocadas entre Renata e o diretor jurídico da companhia, Francisco de Assis e Silva, em que eles discutiam estratégias e valores com vistas a obter sentenças favoráveis à empresa de Joesley Batista no STJ.

A bomba foi atirada pelo ex-marido da advogada, Pedro Bettim Jacobi, que levou à Lava Jato um dossiê com provas da atuação, no mínimo, suspeita de Renata.
Raquel também solicitou ao Instituto Nacional de Criminalística uma perícia nas mídias entregues por Jacobi. Concluída a análise, o material deve retornar à PGR.
Renata Araújo gostava de vender influencia e proximidade com alguns dos principais personagens do universo jurídico nacional, inclusive com a nova chefe do Ministério Público Federal.

A advogada organizava jantares com a presença das excelências e chegou a promover um evento de apoio à candidatura de Raquel à PGR.

 As informações são do Radar On-Line.

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();