Jean Wyllys e Maria do Rosário querem descriminalizar pedofilia?

O deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) é, ao lado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, um dos políticos que mais motivam notícias falsas na internet. Conforme manchetes mentirosas que se proliferam em redes sociais e no WhatsApp, o parlamentar já propôs alterações na Bíblia, disse que não há pedofilia em casamentos infantis islâmicos, apoiou o casamento entre pessoas e animais e dirigiu o filme “Jesus, a diva da mentira”, que mostraria Jesus Cristo e seus discípulos como homossexuais. 

Tudo lorota.
A mais nova notícia falsa envolvendo Wyllys inclui também a deputada federal Maria do Rosário (PT-RS). Conforme o texto, publicado inicialmente pelo blog Pelo Amor de Deus e replicado por sites como o cascateiro contumaz Sociedade Oculta, os dois deputados vão propor um projeto para descriminalizar a pedofilia. Leia abaixo:

Como este blog costuma alertar, o volume expressivo de erros de português em textos que emulam o estilo jornalístico deve ser interpretado pelo leitor como um sinal de que a informação é falsa. Há seis derrapadas do tipo na “reportagem” sobre o “projeto” de Wyllys e Maria do Rosário. A ausência de tal informação em veículos de informação confiáveis também é evidência de que a “notícia” não merece crédito.
Diante de mais um boato, Jean Wyllys publicou um desmentido em suas redes sociais. No Twitter, o deputado do PSOL alertou para a edição da imagem que ilustra a notícia falsa, feita a partir de uma foto publicada pelo portal G1 em outubro de 2015.
Na imagem original, lê-se no cartaz de Maria do Rosário: “tod@s devemos ter dignidade humana respeitada pelo Estado”; na imagem editada, lê-se “pedofilia não é crime, é doença”. Veja abaixo:

Em seu perfil no Facebook, o deputado explicou o contexto da foto: “manipularam de forma criminosa uma foto do portal de notícias G1, feita no ano de 2015, que registrou o momento em que eu e as deputadas Erika Kokay (PT-DF) e Maria do Rosário (PT-RS) protocolamos dois recursos para que o projeto de lei do Estatuto Homofóbico contra as Famílias fosse apreciado no plenário da Câmara dos Deputados antes de ir para o Senado e, assim, anular sua tramitação conclusiva na Comissão Especial, onde os fundamentalistas tinham maioria”.

A única informação verdadeira veiculada pelo boato é a de que uma blitz contra a exploração sexual de menores, em Porto Alegre, em 31 de outubro de 2003, flagrou um cunhado de Maria do Rosário.

Conforme reportagem da Folha de S. Paulo, publicada em 8 de novembro daquele ano, a própria deputada, que participava da ação, flagrou o cunhado “com outro homem e duas meninas, de 11 e 15 anos, em um carro na avenida Farrapos, reduto da prostituição em Porto Alegre”. “O cunhado de Maria do Rosário, agora em processo de separação, alegou que estava dando carona para as garotas”, relatou o jornal.

Legislação

No Brasil, o Código Penal não cita textualmente pedofilia, mas considera crime a relação sexual ou ato libidinoso praticado por adulto com criança ou adolescente menor de 14 anos. Conforme o artigo 241-B do Estatuto da Criança e do Adolescente, é considerado crime, inclusive, o ato de “adquirir, possuir ou armazenar, por qualquer meio, fotografia, vídeo ou outra forma de registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente.”

Um comentário:

  1. Sitezinho esquerdista de merda: a tendenciosidade está transbordando em tudo!

    ResponderExcluir

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();