Escola infantil usa drag queen para fazer apologia à ideologia de gênero e atacar a “família brasileira”

O colégio João XXIII, mantido pela Universidade Federal de Juiz de Fora, Minas Gerais, ofereceu uma “aula” diferente na véspera do dia das crianças. O professor foi o drag queen Femmenino, que vestia uma peruca loira, saia rosa e mini-blusa colorida.

Durante o recreio, ele conversou com os alunos e fez brincadeiras na quarta-feira. Além disso, ensinou abertamente sobre ideologia de gênero.

“Vocês vão ficar aí pensando sobre essas diferenças de menino e menina. Isso não existe!”, afirmou à crianças na faixa dos 8 anos de idade. A certa altura, um garoto diz que isso é “preconceito”. Ao ouvir isso, a drag queen dispara: “Viu? Toma, família brasileira”.
Chamada por alguns alunos de Pablo Vittar, o “professor” cantou trechos de uma música sua (“K.O”) para as crianças.
Ao perguntar a uma menina o que ela queria ganhar de presente no Dia das Crianças, ela responde: “uma boneca”, Femmenino rebate: “Mas uma boneca igual eu, assim?”. Depois, ela pergunta a outro grupo: “Quem quer me ganhar de dia das crianças?”.
O vídeo com a interação dele com as crianças está sendo muito comentado nas redes sociais, onde a maioria das pessoas se mostra contrária à decisão da escola, que é mantida com recursos federais.


Um comentário:

  1. Dizer que menino e menina e precinceito e uma piada. Quando todos nascem nascer macho e femia e assim a natureza do homem e da mulher; o que passar disse nao provem de Deus; mas do homem sem Deus o criador.

    ResponderExcluir

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();