Janot pede que Joesley Batista seja julgado por Sergio Moro

Empresário é acusado do crime de obstrução de Justiça por ter tentado comprar o silêncio do doleiro Lúcio Funaro, a mando do presidente Michel Temer (PMDB).

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao Supremo Tribunal Federal que encaminhe para a 13ª Vara Federal de Curitiba os processos referentes ao empresário Joesley Batista, dono da JBS, e Ricardo Saud, diretor de relações institucionais do grupo.
Os dois estão presos desde domingo, depois que Janot pediu a prisão de ambos em decorrência de áudio em que eles admitiam que haviam omitido informações no acordo de colaboração premiada. Ambos são acusados agora do crime de obstrução de Justiça por causa dos pagamentos indevidos para evitar que o doleiro Lúcio Funaro firmasse acordo de delação.
Temer é acusado de instigar Joesley a pagar, por meio de Saud, vantagens a Roberta Funaro, irmã de Lúcio Funaro. Os três são denunciados por embaraçar as investigações de infrações praticadas pela organização criminosa. Apesar da tentativa, Lúcio Funaro firmou acordo de colaboração premiada com a Procuradoria-Geral da República, que foi homologado pelo Supremo Tribunal Federal, e as informações prestadas constam da denúncia.

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();