Janot livra Gleisi de novo inquérito no STF

Envio de mensagem a celular de eleitores no dia do primeiro turno das eleições de 2014 motivou a apuração.
A pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, o ministro Celso de Mello devolveu para a primeira instância da Justiça no Paraná o inquérito policial aberto que apura irregularidade atribuída à presidente nacional do PT, a senadora Gleisi Hoffmann, na campanha da petista ao governo do Paraná em 2014. De acordo com a denúncia, no dia 5 de outubro daquele ano, data do primeiro turno das eleições, uma juíza eleitoral noticiou ao Ministério Público que recebeu em seu celular a mensagem: 
"Se você tá pensando em votar no Beto só porque não gosta do Requião, peço o seu voto pra Gleisi Governadora Vote 13. No segundo turno você decide ou resp sair".
O caso foi enviado ao Supremo por envolver autoridade com prerrogativa de foro. Segundo Janot, porém, o inquérito não reuniu indícios mínimos da participação ou do conhecimento de Gleisi no envio de mensagens aos eleitores, por SMS, no dia do pleito.

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();