Policial mata dentro de hospital acusado de ter matado seu companheiro de farda

O policial militar Edevaldo Aleixo Marques Fontes, 38 anos, matou dentro do pronto-socorro de Corumbá, Jonilson Silva da Cruz, 33 anos, que assassinou durante a madrugada , o policial João Márcio Leite da Cruz, 34 anos. Jonilson estava no hospital, porque antes de matar o PM foi baleado por ele.

Ao site Saúde e Notícia o comandante do 6º Batalhão da Polícia Militar, tenente-coronel Wilson Velasques, informou que o soldado Fontes foi até o pronto-socorro em busca de informações sobre o policial baleado. Ao passar próximo à sala de procedimentos onde Jonilson estava, teria ouvido dele: "um policial a menos". 

O PM sacou a arma e fez dois disparos contra Jonilson, que morreu no local.

O soldado Fontes se apresentou ao Comando da PM e está preso. O comandante Velasques disse que os dois policiais militares estavam de folga. 
Um inquérito policial militar vai ser instaurado para apurar o caso. A Polícia Civil também investiga os homicídios. 

O caso - João Márcio foi assassinado com três tiros em frente ao clube Atlético, na Avenida 14 de Março, em Ladário, distante 419 quilômetros de Campo Grande. De acordo com a Polícia Civil, a vítima foi encontrada morta em cima de uma motocicleta. Ele foi atingido por três tiros, um no peito, perna e abdome. Antes de morrer, João Márcio conseguiu disparar contra o acusado de ter cometido o crime, Jonilson, que foi atingido por dois tiros.
À polícia, testemunhas relataram que viram o momento em que Jonilson saiu correndo do local e chamou Jeferson Manoel Lima da Silva, 29 anos, que estava em um veículo Ford KA. O carro foi revistado pelos policiais. No veículo foram encontrados um revólver calibre 38 com cinco munições deflagradas.

Jonilson foi socorrido pelo Samu (Serviço de Atendimento Médico de Urgência) e levado para o pronto socorro do município, onde foi morto pelo soldado Fontes. Jeferson, suspeito de participação no crime, está preso na Delegacia de Polícia Civil de Corumbá.       

4 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Agora é um vagabundo a menos no Mundo, policial merece uma medalha e ser promovido por livrar da sociedade um ser que não era nem pra ter nascido.

    ResponderExcluir
  3. O PM vai ser absolvido pelo tribunal de juri, sem sombra de dúvidas.

    ResponderExcluir

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();