Para PSDB não romper com governo Temer, PMDB apoiará PSDB nas eleições de 2018 e no Senado

O PSDB se reúne para discutir o rompimento com o governo, mas deve adiar a decisão.

O PSDB tem, hoje, dois principais pré-candidatos à Presidência: o governador Geraldo Alckmin e o prefeito de São Paulo, João Doria.
Temer procurou Alckmin há duas semanas para pedir ao governador que desmobilizasse a debandada do PSDB de São Paulo. Alckmin tem trabalhado neste sentido.  

No caso do conselho de ética, o Planalto sinaliza à ala tucana ligada a Aecio Neves que, em troca de apoio, pode trabalhar contra a cassação do mandato do senador, gravado em delação da JBS e denunciado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot.
Aécio foi denunciado ao STF por corrupção passiva e obstrução de Justiça.
Mas, para manter o PSDB no governo, Temer sinaliza aos tucanos que trabalhará para evitar a cassação de Aécio .
Um dos principais interlocutores de Temer no Senado é Romero Jucá, líder do governo no Senado - que também é presidente do PMDB.
O presidente do conselho de ética é do PMDB - o senador João Alberto, aliado de Jucá, Temer e José Sarney. 

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();