Governo Temer retalia senador que votou contra a reforma trabalhista

 Após a reforma trabalhista ser derrotada por 10 votos a 9 na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado, pelo menos um dos senadores aliados que votaram contra o relatório de Ricardo Ferraço (PSDB-ES) foi retaliado.
O senador Hélio José (PMDB-DF), que chamou o governo Michel Temer de "corrupto" e acusou o Palácio do Planalto de fazer um "balcão de negócios" em uma "retaliação terrível", criticou a demissão de dois de seus indicados no DOU (Diário Oficial da União).

Foram publicadas a exoneração de Francisco Nilo Gonçalves Júnior, que era superintendente da Secretaria do Patrimônio da União (SPU) no Distrito Federal, e Vicente Ferreira do cargo, que ocupava a diretoria de planejamento e avaliação da Sudeco (Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste).
O parlamentar do PMDB-DF criticou o posicionamento do governo. "É inadmissível que um governo mergulhado neste emaranhado de corrupção tome este tipo de atitude, de retaliação a quem quer fazer as coisas de forma correta. Não podemos concordar isso", afirmou Hélio José.

"Acho que os caras enlouqueceram. Pegar um senador da República e retaliar duas indicaçõezinhas de governo por causa de uma votação porque votou com sua consciência. Isso é justo? Não é justo. Não é um governo correto para um país do tamanho do nosso", acrescentou.

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();