A quem interessa a desmilitarização da Polícia Militar?

Cresce no Brasil o movimento para por fim nas polícias militares. A justificativa dos que arquitetam isso são os erros policiais ocorridos recentemente em SP e RJ. Bom,  um erro não justifica outro e quem perderá com o fim da Polícia Militar será toda a sociedade Brasileira. Será que brevemente também vão querer acabar com a medicina e outras profissões também? Por fim,  possivelmente sejamos os últimos espartanos assistir a desordem que se aproxima…

  Neste aspecto, o secretário-geral do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Renato Sérgio de Lima falou que: “Eu sou totalmente contra a Justiça Militar, mas não defendo o fim de toda a instituição. O que tem que acabar, para evitar a impunidade dos casos de violação dos direitos humanos cometidos por alguns policiais, é a Justiça Militar. Todavia, defender o fim da PM empobrece o debate da segurança e isenta as responsabilidades do Ministério Público e da Polícia Civil”.


Para o especialista em Direitos Humanos e Segurança Pública, Marcos Rolim também concorda com a obrigatoriedade de uma reforma da segurança pública, sem o fim da Polícia Militar, como solução para os problemas do País. “A Polícia militar existe na Alemanha, no Chile na Espanha. O desafio agora é reformar a polícia brasileira, que tem o ciclo dividido. O Brasil é um dos últimos países do mundo em que se divide patrulhamento e investigação em duas polícias. É um modelo falho o adotado no Brasil, em que a PM faz metade do trabalho e a Polícia Civil faz a outra”, defende.

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();