Sem dinheiro, PT usará Lula e narrativa que houve “golpe” na campanha municipal

Seja qual for o resultado final do processo de impeachment de Dilma Rousseff, a história de que os opositores políticos intentaram a atacar o projeto social do PT por meio de um "golpe" será o principal pilar do PT nas campanhas municipais, que já começaram, até então não oficialmente.


Com os aliados partidários prejudicados pelo processo de afastamento da presidenta, o partido deve lançar mais candidaturas próprias neste ano. Em crise de imagem e com menos dinheiro para campanha, devido a proibição do financiamento empresarial, dependerá mais do corpo a corpo com eleitores e da presença em palanques de Luiz Inácio Lula da Silva, que já participou de eventos em Pernambuco neste mês para defender seu legado e discutir com aliados.

Nenhum comentário

'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();